Vacinas são entregues com perda de até 20% do número previsto

Seja por erro de armazenamento, envasamento ou até mesmo furto, a perda de vacinas está bem acima que o previsto pelo Plano Nacional de Imunização.

O Deputado Elias Vaz pediu à PGR inquérito para apurar sumiço de vacina.

O deputado federal Elias Vaz (PSB-GO) fez representação à Procuradoria Geral da República pedindo a abertura de ação civil para investigar a reclamação de municípios de que estariam recebendo doses de vacina contra a Covid com até 20% menos que o especificado nos frascos. O problema foi identificado até agora em municípios de pelo menos 12 Estados. Entre eles, Goiás, Paraná, Rio Grande do Sul e Bahia. “É preciso investigar se o problema é técnico ou criminal, se está na origem, no transporte ou na forma de aplicação”, salienta o parlamentar.

O documento apresentado pelo deputado esclarece que a previsão do Plano Nacional de Imunização é de reserva técnica de 5%, considerando as possíveis perdas operacionais da vacina, índice bastante inferior ao registrado em alguns casos. A representação também cita reportagens sobre grupos que se apresentam aos municípios como intermediários na aquisição de vacinas, mesmo sem aval de fabricantes, e sobre furtos de vacina em diferentes estados.

“Cada dose pode fazer diferença. Estamos no pior momento da pandemia no nosso país, com média de 3 mil mortes por dia, e municípios com frequência precisam parar a aplicação da primeira dose em novos grupos por falta de vacina. É preciso esclarecer o que está acontecendo e responsabilizar quem estiver retirando a vacina do povo. Essa situação é inadmissível”, afirma Elias Vaz.