HOpVest #11 – O que é Colonização?

O que é colonização?

Introdução

Você já ouviu alguma das expressões abaixo?

“O Brasil era colônia de Portugal…”

“Os Estados Unidos foi colonizado pela Inglaterra…”

“Colonialismo…”

“Sistema colonial…”

É muito comum ouvirmos essas expressões, mas o que de fato é uma colônia? O que é “Colonização”?

Precisamos ultrapassar algumas limitações para interpretar nossa realidade, e uma delas, com certeza é nossa herança colonial. Não é apenas um passado distante, é fundamental enxergarmos as permanências em uma longa duração. Muitos problemas que ainda hoje enfrentamos são oriundos da colonização. Então entender a realidade brasileira, perpassa, necessariamente, por observar a formação do nosso território, da nossa nação, das nossas estruturas mais rígidas e que por vezes parecem imutáveis. Sem sombra de dúvidas, apenas analisando nossa história seremos capazes de compreender tais questões com a profundidade que é preciso.

Do racismo ao nosso atraso econômico, qualquer severo problema que enfrentamos tem relação direta com o modelo de construção de uma pretensa nacionalidade brasileira, que teve suas bases erigidas no colonialismo. Discutir colonização é cada vez mais atual. Não é que um dia fomos, a questão é que ainda somos colonizados.

Você já percebeu a quantidade de filmes americanos que consumimos? Já percebeu que toda a nossa referência de sucesso tem como padrão a Europa? Quantos filmes asiáticos você conhece? Quantas músicas em Árabe você sabe cantar?

Se você acha que estas questões não têm a ver com a problemática da colonização, é porque precisamos investigar qual o significado dessa palavra. Colonização é um daqueles assuntos que nunca deveria sair da moda.

Então vamos lá!

Victor Meirelles – Primeira Missa no Brasil – 1860

O Sistema Colonial

Vamos entender a Colonização como um sistema. Isso quer dizer que existem características gerais de funcionamento que permitem que uma certa estrutura seja estabelecida, para que assim as coisas funcionem com alguma previsibilidade.

Como já sabemos, a Europa moderna experimentou um modelo de desenvolvimento que tinha como base a exploração de novas áreas, para assim compor grande acumulo de riquezas. Essa riqueza era medida pela quantidade de ouro e prata que as nações tinham de reserva. Daí surge a necessidade de expandir suas atividades para além das fronteiras nacionais e buscar enriquecimento através do comércio e da exploração.

No entanto, esse sistema não era apenas uma busca para garantir melhores negócios, mas também para levar ao mundo um projeto de civilização que a Europa considerava como modelo. Esse projeto tinha como orientador ideológico os princípios da Igreja.

Então temos aí os dois componentes centrais do Sistema Colonial: Mercantilismo e Cristianismo. Se por um lado a riqueza das nações precisava de novas relações comerciais para acumular mais metais, por outro, a Igreja precisava expandir sua atuação para conseguir mais fiéis; vale lembrar que as Reformas Protestantes abalaram profundamente as bases da Igreja Católica e colocaram em xeque seu poder.

Por isso a aliança entre Estado e Igreja foi imprescindível para o colonialismo, se por um lado a Igreja garantia a salvação de reinos católicos, por outro, os Estados tinham capacidade de explorar novas terras atrás de riquezas, ao mesmo tempo que levava a fé.

Esse sistema encontrou assim sua base econômica e sua justificativa moral, e foi essa aliança que promoveu as maiores atrocidades jamais experimentadas em qualquer outro momento da história.

As bases do sistema colonial:

Pacto colonial: Imposição do monopólio comercial sobre a colônia, ou seja, a colônia só poderia estabelecer relações comerciais com a metrópole.

Produção para a exportação: Toda a produção era voltada para o abastecimento da metrópole.

Monocultura: a produção de apenas um gênero principal para abastecer o mercado externo.

Latifúndio: concentração de amplas extensões de terras.

Escravidão: aprisionamento de seres humanos, garantida através da violência severa, para trabalhar contra a própria vontade e sem remuneração. Para justificar a escravidão, uma raça inteira foi considerada sub-humana pelos europeus.

 

Questões e testes sobre a Colonização

1.

(Fuvest) No século XVI, a conquista e ocupação da América pelos espanhóis:
 
 
 
 
 

2.

(FEI-SP) As duas principais atividades econômicas que Portugal e Espanha incentivaram na América, no início da colonização, foram, respectivamente:
 
 
 
 
 

3.

(Cesgranrio) A política colonizadora portuguesa, voltada para a obtenção de lucros do monopólio na esfera mercantil, tinha como principal área de produção:
 
 
 
 
 

4. (Cesgranrio)O início da colonização portuguesa no Brasil, no chamado período “pré-colonial” (1500-1530), foi marcado pelo(a):

 
 
 
 
 

Questão 1 de 4