Quentinha do dia #57 – Forças Armadas abandonam o governo

A fragilidade política do governo foi exposta nesta segunda-feira e depois da dança das cadeiras na Esplanada dos Ministérios, os comandantes das três Armas também colocaram seus cargos à disposição. Isso quer dizer que Edson Leal Pujol (Comandante do Exército), Ilques Barbosa (Comandante da Marinha) e Antônio Carlos Bermudez (Comandante da Aeronáutica) anunciaram oficialmente suas saídas do governo. Isso logo depois que  o general Fernando Azevedo e Silva foi destituído de seu posto de Ministro da Defesa, substituído pelo general Walter Braga Netto.

Para interlocutores, Fernando Azevedo compunha uma ala mais moderada dentro das Forças Armadas, o que trazia certo equilíbrio entre os desmandos autoritários do presidente e a contenção de discursos golpistas dentro das Forças Armadas, já Braga Netto é mais alinhado ao radicalismo da extrema direita que agrada Bolsonaro. Jair tem manifestado sua intenção golpista a cada sintoma de desgaste do governo.

Com sua popularidade desmoronando, resta ao presidente endurecer mais o discurso para movimentar sua base eleitoral e tentar transparecer um apoio popular muito maior do que realmente tem. Para isso, ele depende de um discurso afinado entre o governo e as Forças Armadas, transformando Exército, Marinha e Aeronáutica em mais uma extensão da máquina de propaganda do governo.