HOpVest #6 – O que é a Mesopotâmia?

Introdução

Muitas vezes ouvimos falar da Mesopotâmia. Erroneamente, por vezes acreditamos que existiu uma civilização mesopotâmica, mas isso é um equívoco que precisamos corrigir. Nunca houve uma civilização com esse nome, Mesopotâmia é o nome dado a uma determinada região. A palavra vem do grego (Meso = “Entre”, “Meio” e Potâmia = “água”, “torrente”, ou “rios”).  Então a melhor tradução seria “Entre Rios”, o nome é bastante apropriado, pois, a história de diversos povos que ali se desenvolveram tem relação direta com a capacidade de uso da água dos Rios Tigre e Eufrates.

Essa região hoje compreende porções do território do Irã, Jordânia, mas a maior porção é pertencente ao Iraque. Podemos afirmar que ali foi um dos berços das mais antigas civilizações humanas. É também na Mesopotâmia que surge a Escrita, um importante avanço na história.

Vamos entender melhor!

Civilizações Hidráulicas

Particularmente, acho a definição de sociedades hidráulicas pouco apropriada, pois o acesso a água é condição prévia para o desenvolvimento das sociedades. Todo grupamento humano, sejam aqueles nômades que viveram no Pleistoceno, sejam sociedades fixadas após a “Revolução agrícola”.

No entanto, o termo nos permite dar ênfase a uma das principais características dessas sociedade: se fixaram em localidades com alta, ou pelo menos constante disponibilidade de água. Esse acesso aos recursos hídricos permitiu a melhoria de técnicas de irrigação, que foram fundamentais para o desenvolvimento cada vez mais eficiente da agricultura.

Nesse sentido, as sociedades ali fixadas desenvolveram formas de governo que tinham como objetivo primordial, o controle das atividades agrícolas. A sociedade e a política se organizavam em torno das necessidades alimentícias, e por conseguinte, uma de suas principais funções era a garantia da execução de trabalhos ligados à produção agrícola. No entanto, isso não era suficiente para manter os gastos das realezas, o que exigia grandes somas de impostos.

Crescente Fértil

No caso daquela região, a Mesopotâmia, estamos falando de um espaço de terra que fica próxima aos rios Tigre e Eufrates. Existe um fenômeno natural que ocorre nesses rios, que são as suas cheias, não é um evento rigidamente regular, mas acontecia de tempos em tempos, o que facilitava a utilização da água disponível desses rios. Esse fenômeno das cheias se insere em um contexto mais amplo, em que ficou conhecido como o Crescente Fértil

O Crescente Fértil é um fenômeno possibilitado pela condição geográfica que compreende a alta disponibilidade de água e adubos nas proximidades dos Rios Nilo, Jordão, Tigre e Eufrates, e que tornou aquele solo muito propício para o plantio de diversos gêneros agrícolas.

Na Mesopotâmia, o Crescente Fértil acontece por causa das águas que descem do alto do Rio Tigre, no Planalto do Curdistão, que é quase paralelo ao mesmo evento que parte do Rio Eufrates no Planalto da Anatólia, ambos se encontram no Rio dos Árabes, até que desaguam no Golfo Pérsico. Nessa vasta extensão, diversos pântanos e afluentes também colaboram para a irrigação e fertilidade da região.

Abaixo você pode conferir um mapa da região, em que está destacado o fenômeno do Crescente Fértil:

As principais civilizações mesopotâmicas:

A fixação na Região possibilitou outro modelo de desenvolvimento. É bem provável que muitas das sociedades ali, se fixaram na região em uma data estimada entre 10 mil e 7 mil anos antes de Cristo.

As mais conhecidas civilizações que desenvolveram suas sociedades na Mesopotâmia são:

Sumérios

Acádios

Amoritas

Assírios

Caldeus

Tour Virtual do Museu Nacional do Iraque

O Museu Virtual do Iraque é uma iniciativa promovida pelo Ministério das Relações Exteriores da Itália e realizada pelo Conselho Nacional de Pesquisa da Itália. O objetivo do projeto é proporcionar ao público a oportunidade, de entrar em contato com o patrimônio arqueológico, histórico e artístico de uma das instituições museológicas mais importantes do mundo, o Museu Nacional do Iraque, em Bagdá.

http://www.virtualmuseumiraq.cnr.it/prehome.htm

Questões sobre a Mesopotâmia

1. (PUC/SP) Na História Antiga, os sumérios são necessariamente associados quando se estuda(m):

 
 
 
 
 

2. (Unesp-2003) Na região onde atualmente se encontra o Líbano, instalou-se, no III milênio a. C., um povo semita, que passou a ocupar a estreita faixa de terra, com cerca de 200 quilômetros de comprimento, apertada entre o mar e as montanhas. Várias razões os levaram ao comércio marítimo, merecendo destaque sua proximidade geográfica com o Egito; a costa, que oferecia lugares para bons portos; e os cedros, principal riqueza, usados na construção de navios.

O contido nesse parágrafo refere-se ao povo:

 
 
 
 
 

3. (UFRN) As sociedades que, na Antiguidade, habitavam os vales dos rios Nilo, Tigre e Eufrates tinham em comum o fato de:

 
 
 
 

4. (Fuvest) A partir do III milênio a. C. desenvolveram-se, nos vales dos grandes rios do Oriente Próximo, como o Nilo, o Tigre e o Eufrates, estados teocráticos, fortemente organizados e centralizados e com extensa burocracia. Uma explicação para seu surgimento é

 
 
 
 
 

5. (UFCSPA/RS) A Mesopotâmia atual situa-se no Oriente Médio entre os rios Tigre e Eufrates, que ficam no atual Iraque, na região conhecida como Crescente Fértil. Seu nome vem do grego (meso=meio e potamos=água) e significa “terra entre rios”. A fertilidade dessa região, localizada em meio a montanhas e desertos, deve-se à presença dos rios.

Sobre a civilização mesopotâmia, na Antiguidade Oriental, analisar os itens abaixo:

I. A estrutura social baseava-se na existência de uma pequena elite, controladora de uma vasta população que estava submetida ao trabalho compulsório, característica de um governo despótico, de fundamento teocrático, que domina todos os grupos sociais.
II. O Estado era responsável pelas obras hidráulicas necessárias para a sobrevivência da população, bem como pela cobrança de impostos e pela administração de estoques de alimentos.
III. Na religião mesopotâmia, o governante era representado e compreendido por seus súditos mais como uma divindade viva do que como um representante dos deuses.
IV. Em termos políticos, a Mesopotâmia caracterizou-se por ter, na instituição monárquica, personificada no governante, o seu principal fator de unidade.

Está(ão) CORRETO(S):

 
 
 
 
 

6.

(URCA CE/2007)

 Como no Egito, a base da economia na Mesopotâmia era a agricultura. Sobre a agricultura na Mesopotâmia, é correto afirmar que foi marcada:

 
 
 
 
 

7.

(UNESP SP/2013)

 [Na Mesopotâmia,] todos os bens produzidos pelos próprios palácios e templos não eram suficientes para seu sustento. Assim, outros rendimentos eram buscados na exploração da população das aldeias e das cidades. As formas de exploração eram principalmente duas: os impostos e os trabalhos forçados.

(Marcelo Rede. A Mesopotâmia, 2002.)

Entre os trabalhos forçados a que o texto se refere, podemos mencionar a

 
 
 
 
 

8.

(Centro Universitário de Franca SP/2016)

As águas dos rios Tigre e Eufrates permitiram o desenvolvimento de uma rica cultura agrícola e o surgimento das primeiras cidades na Mesopotâmia. Todavia, a agricultura só começou a progredir quando os povos da região desenvolveram estruturas complexas.
(Fausto Henrique Gomes Nogueira e Marcos Alexandre Capellari. Ser protagonista, 2010. Adaptado.)

As estruturas complexas referidas no texto relacionam-se, diretamente,

 
 
 
 
 

Questão 1 de 8